Skip to content

Diálogos entre terapeuta e paciente

Todas as palavras já foram ditas e de repente, fico sem ação. Não são apenas as palavras que estão em silêncio, meus movimentos também. Diante de uma infinidade de coisas a realizar, perco-me no presente, sem saber pra onde vou. Penso que nesse vazio a única saída é fazer terapia. Busco, na esperança de que você possa me dar algo para que eu possa continuar de onde parei. 

Terapia não é isso; não é direcionar você. É estar junto, abrindo espaços para você ser e não ser ao mesmo tempo. Não existem pré-definições do que é normal. Para quê você busca tanto ocupar um lugar que está na ordem do vazio? A tristeza é um sentimento que cabe e que vai passar. Você não está doente da cabeça. Talvez esteja doente dos pés, porque não dança, não ousa ir além. Você quer ter a segurança de suas ações, a certeza de que suas escolhas são certas. Você não está acostumado às fronteiras da insônia angustiante, sufocada e, por isso mesmo, artística. Você prefere se entupir de barbitúricos ao invés de inventar suas próprias saídas.

Tenho medo. Não suporto não saber. São muitos anos de confinamento, onde todos me diziam que se eu fizesse tudo certo, tudo daria certo. Mas, nos intervalos, além de adquirir carros, casa bonita, existem sentimentos que não consigo colocar em palavras. Eles querem sair, mas não sei como. Nem sei o que significam. Existem tantas opções e tenho tanto receio de ocupar um outro lugar no mundo. Prefiro acreditar que meu caminho é estreito; dá menos trabalho. Mas, eu sofro.

Preguiça. Outra questão que se abre. Por que o homem não busca fazer? Quantas máquinas substituem seus próprios movimentos? Você deve estar apertado. Não apenas de prisão de ventre, mas sufocado em suas idéias e ações. Quantas expressões não cabem em uma palavra? Qual a velocidade de seus sonhos? O que você coloca no lugar de sua imaginação? Não seria melhor ir vivendo? Estar presente, entregue ao que você está fazendo? Você já notou que, na maioria das vezes, você nunca está no lugar que você está-aqui-e-agora? Para onde você foge? Para lugares que você nunca alcançará? Fique aqui. Experimente o que é mau e o que é bom. Vai passar, seja lá o que for. Não precisa ser legitimado por mim. Estou aqui porque você quer que eu esteja.

Você tocou num ponto importante. Sinto que estou sempre alienado, que estou Zumbi diante da vida. Ela está toda organizada; tenho família, boa situação financeira, todos dizem que sou um cara legal, bonito. Mas, ninguém sabe que estou fragmentado. Pedaços de mim estão em todos os lugares e não os encontro. Conheço minha mente racional. Ela faz toda a vida parecer lógica. Quantos enganos. Como sou acostumado a dar formas às coisas e acreditar que elas precisam se fechar. Ouço muito as pessoas falarem na palavra absoluto. Todos têm absoluta certeza e eu também. Uma parte de mim quer expandir, ir além e tornar a vida mais leve, mais flexível, mais relativa. Preciso de minhas sensações de volta, assim como visto minhas roupas, preciso de minha pele, meu corpo. Saber que um coração disparado diante de um pôr-do-sol é uma manifestação da minha relação com a vida e não um sintoma de alguma doença física ou mental. Estou atolado em tantos “você deve” ou “não deve”, que perdi meu contato com as coisas do mundo. Não sei mais se o que sinto, posso sentir. 

Agora vi brilho em seus olhos. Fui tocada pelo seu desejo de vida, de não querer ficar na mesmice das coisas. Não preciso catalogar você em alguma patologia. Estamos fluindo. Estou aqui não porque eu ache que você só vai dar conta por minha causa. Estamos num jogo, agradável e que pode também ser desagradável em alguns momentos para que você se sinta instigado a expandir, inventar suas maneiras de estar no mundo, ser feliz. Estou aqui também para, ao ser afetada por você, possa responder a você pelo afeto e não apenas pelo conteúdo do que eu digo. Nossas formas, singulares, o jeito de estar no mundo de cada um de nós dois, fará uma diferença sutil em nosso cotidiano. No jogo, na ponte de um ponto ao outro, não é a chegada que é importante. É no “como vamos nos constuindo” do presente para algum lugar que ainda não sei qual é, que está a vibração necessária para dizermos que na vida tudo muda. Transformar é criar a cada momento, com as coisas que você traz em si, uma ação que mobilize mais energia e assim sucessivamente. O dia em que você conseguir ficar na sua própria instabilidade e imprevisibilidade e não ter que dar conta e nem precisar controlar o futuro, você será uma pessoa mais alegre consigo mesma.Viver é saborear cada instante da vida. Não temos segurança de nada.

Estou emocionado. Estou com você e não sei ainda o que isso é. Talvez nunca saiba. Talvez nem queira nomear nossa relação. O mais importante no meu dia de hoje foi o fato de nos olharmos nos olhos enquanto falávamos. Estamos juntos.Quero voltar para poder me encontrar com você.

No comments yet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments (0)