Skip to content

Depressão Infantil – Saídas Possíveis

Estamos vivendo em um mundo cada vez mais acelerado. A oportunidade de estarmos com as pessoas que mais amamos é cada vez menor. Muitas crianças só têm a oportunidade de estarem, de verdade, na companhia dos pais nos finais de semana e essa é uma realidade que está difícil de ser mudada. O que pode melhorar? A qualidade do tempo disponível entre pais e filhos para estarem juntos.

Uma criança que é tocada, enxergada e ouvida sente-se amada e carrega dentro dela esse estado de amor aonde quer que vá, mesmo longe dos pais. Muitas que passam o dia inteiro na escola são felizes, pois sentem que pertencem a uma família, sentem-se queridas e desenvolvem assim o desejo de fazer o mesmo com as pessoas a quem amarão no futuro.

Um dos fatores que gera a depressão Infantil é a “eterna” ausência. É a ausência mesmo estando junto. É a falta de certeza se realmente é amada, gerando assim um sentimento de desamparo que pode passar a fazer parte da sua estrutura emocional. 

Esse vazio pode gerar a sensação que nada é suficiente, mesmo as conquistas que essa criança e o futuro adulto conquistarão mais tarde. Por isso, há uma série de pessoas bem sucedidas, e até famosas, que sofrem de depressão. Nem todo o sucesso, nem todo dinheiro são capazes de suprir esse vazio, essa falta.

O toque, a estimulação, o olhar e o amor dos pais no início da vida, são fatores fundamentais no aumento da serotonina – substância encontrada no cérebro, responsável pelo humor. Sem o toque, sem o calor humano, sem o amor, a quantidade de serotonina fica muito baixa, causando a depressão, que pode vir a ser tratada com a psicoterapia e a ajuda de anti-depressivos. 

Muitas pessoas confundem depressão com tristeza. A tristeza tem uma causa aparente. Uma criança pode ficar triste porque perdeu um bichinho de estimação, porque o melhor amigo não foi a aula e outras situações reais. Na depressão, esse estado é permanente, mas nem sempre é caracterizado pela tristeza. Existem estados de hiperatividade que podem estar encobrindo a depressão. Um exemplo é a criança que está sempre agitada, sempre fazendo mil coisas e não se detem em nada. Não pára, não se concentra. Na verdade, esse estado é uma defesa para não entrar em contato com o vazio que sente. Esses casos também precisam de tratamento urgente. 

Vou citar abaixo alguns sinais que denunciam que uma criança possa estar deprimida:

  • Falta ou excesso de sono
  • Falta de interesse por coisas que antes adorava
  • Falta de vontade de brincar e conhecer outras crianças
  • Muito choro, muitas vezes sem um motivo significativo
  • Aumento ou perda de peso repentinos
  • Sentimento de impotência, com frases do tipo: “eu não consigo” ou “eu não sei”.
  • Medo em excesso
  • Euforia e falta de concentração em excesso.

Se você conhece uma criança que apresente a maioria desses sintomas não hesite em procurar ajuda de um especialista. Quanto mais cedo esses sintomas forem identificados e tratados, mais chances teremos de formar adultos mais felizes. 

No comments yet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments (0)